2 de dez de 2014

Sobre como subir a trilha da Pedra da Gávea


Há algumas semanas eu tive o prazer de fazer pela segunda vez essa trilha maravilhosa que é a subida da Pedra da Gávea, no Rio de Janeiro. Muitas pessoas tem vontade de ir até o topo da pedra mas sentem medo ou têm algumas dúvidas de como chegar até lá, então eu bolei esse "mini-manual", meio longuinho, mas que vai ajudar a esclarecer o que rola do início da trilha até o topo. :)

A Pedra da Gávea é o maior bloco de pedra à beira mar do mundo. A vista de cima dos (aprox.) 845 metros de altura da Pedra dão uma visão de toda a orla do Rio de Janeiro, entre a Zona Sul e Zona Oeste. Além disso, é possível ver também as montanhas que descem da Floresta da Tijuca.

No lado da Pedra oposto ao mar, após longos processos de erosão, há um bloco de pedra que, após longos processos de erosão, aparenta ter o formato de um rosto humano, e é chamado por muitos de “O Imperador”.

Como chegar


A trilha começa em um condomínio na Barrinha (sub-bairro da Barra da Tijuca) – Zona Oeste, na Estrada do Sorimã. O acesso se dá através do portão do condomínio, e após alguns minutos de caminhada chega-se a entrada principal da trilha da Pedra da Gávea.

Quem quiser ir de ônibus, é simples: descer nas Avenida das Américas, próximo à Olegário Maciel, atravessar para o outro lado do canal e seguir pela direita em direção ao posto de gasolina. Entra à esquerda no posto e segue direto.

O que levar


- Água, muita água. Recomendo que cada pessoa leve, pelo menos, dois litros de água. A trilha é pesada e exige um ritmo intenso, então manter-se hidratado é fundamental. Um suquinho ou mate também acho válido pois na hora do cansaço extremo um pouco de açúcar sempre dá aquele gás.

- Protetor solar. Por mais que a maior parte da trilha seja mata fechada, não arrisque chegar ao topo com aquela marquinha básica de camiseta ou top.

- Sanduíche, frutas ou biscoito para comer quando chegar lá em cima. Dar aquela descansada depois de uma subida cansativa e comer com uma vista maravilhosa, tenha certeza, é muito bom!

- Repelente.

Como ir vestido


- Roupa leve e que te possibilite subir e/ou descer as pedras tranquilamente. Para as mulheres, roupa de lycra (aquelas de academia) acho que seja o ideal. Para os homens, shorts bombers - short de tactel acaba limitando um pouco na hora de esticar as pernas.

- Tênis confortável e flexível. 

A subida


Depois de entrar no condomínio, você deixa seu nome e telefone na guarita (medida de segurança) e segue por uma estrada de pedra que vai dar na trilha. 

No início a trilha é basicamente subida pela mata fechada, com escadas naturais feitas de raízes e pedras, e alguns paredões de tamanho médio com agarras naturais, apoios de ferro ou correntes. Eu acho que essa é a parte mais cansativa da subida e dura em média 1h50m com ritmo intenso. Muitas vezes eu precisei parar e dar uma descansada, mas nada que seja ruim, afinal tudo lá é lindo e digno de admiração. Nesse caminho tem dois mirantes com uma vista incrível e uma fonte pra você se refrescar, mas tem que dar sorte pois nas duas vezes que eu fui só encontrei a água bem fraca. :( ´

Só pra constar: não acho legal beber água dessa fonte.

Carrasqueira


Falou em carrasqueira a galera treme, né? (risos)... calma! O paredão conhecido como "carrasqueira" fica numa área descampada e é composto de pedras que permitem que você suba impulsionando o corpo com os pés e as mãos. Algumas pessoas vão com equipamento, mas eu acho que a subida é bem mais fácil do que se imagina. A descida já é mais cruel, e nas duas vezes eu usei a corda para me auxiliar, mas a maioria das pessoas desce sem a corda. 


Foto: Reprodução

Para não correr riscos, se você não se sente segura(o), contrate um serviço de guia. Ele leva todo o equipamento de segurança (cordas e ganchos) e te auxilia nas subidas. Geralmente eles cobram um valor de R$25 a R$30 reais por pessoa. 

Chegando...


Depois da carrasqueira são mais alguns minutinhos de caminhada e você chega ao topo, e todo aquele cansaço e "medinho" vão embora quando você se depara com aquela vista maravilhosa da orla do Rio! Dá para ver do Pão de Açúcar até a Ponte Rio-Niterói, além da extensão toda da Barra e Recreio. A vista é de tirar o fôlego mesmo, tanto que você acaba esquecendo todos os problemas do Rio e passa a agradecer por viver aqui. 




Foto: Reprodução

Cabeça do imperador


Pensou que acabou? Nãooo! Continuando a trilha você ainda pode ter fortes emoções: o caminho que vai para a "cabeça do imperador" é o ponto mais alto da pedra. Para chegar até lá, tem um trecho onde é preciso descer em uma pequena encosta por um cabo de ferro e, em seguida, tem mais um paredão para subir com pedras altas e poucas fendas. É lá onde fica a "cadeirinha", uma formação rochosa na última pedra que simula uma marquise. É possível sentar lá e ficar literalmente de cara para o precipício. Ainda não fui, quem sabe da próxima vez tomo coragem o suficiente! (risos)

Vale lembrar que o mais importante é o RESPEITO. Respeite seu limite para não se arriscar sem necessidade e respeite também a natureza, não deixando lixo na trilha ou no topo.


Então agora não tem mais desculpa, está tudo explicadinho. Dê aquela alongada antes de começar a trilha e divirta-se, aproveitando o que a natureza tem de melhor!
© Trend S/A
Maira Gall